Actividades

Dia 10 de Janeiro de 2020, Sexta-feira, 21h30

Concerto de Reis na Igreja dos Clérigos

Em colaboração com a Direcção do Colégio do Rosário e a Direcção da Igreja dos Clérigos, a Associação Cultural Amigos do Porto vai apresentar um Concerto Coral, acompanhado por um conjunto instrumental, dirigidos pelo Maestro Pedro Teixeira, com o seguinte alinhamento:

Angel’s Carol

Quem pastores laudavere

Es ist ein Ros entsprungen

Ding Dong merrily on high

Oh! Vamos todos à porfia

Exultem, ó povos, alerta ao sinal

Alles was ihr tutt

Coral da Cantata 147

No exterior da Igreja, serão ainda interpretadas canções alusivas à época.

 

Dia 18 de Janeiro de 2020, Sábado, às 14h45

Visita guiada à exposição «Souto Moura – Memória, Projectos, Obras», patente na Casa da Arquitectura (Avenida Meneres, 456, Matosinhos)

Eduardo Souto Moura tem sido distinguido com os mais significativos prémios, como o Prémio Pessoa, em 1998, o Pritzker, em 2011 e o Leão de Ouro, em 2018.

Numa área de cerca de 950 m2 apreciaremos projectos, desenhos, maquetes de hotéis, habitações, conventos, igrejas, espaços culturais (como a Casa das Artes e a Casa das Histórias) e outro tipo de estruturas como o Estádio de Braga, o Metropolitano do Porto e a Central Hidráulica da Foz do Tua.

 

Dia 25 de Janeiro de 2020, Sábado, às 15h30

Assembleia Geral Ordinária, com apreciação e votação do Relatório e Contas referentes ao Exercício de 2019 e Orçamento para 2020, no Auditório da Associação dos Trabalhadores e e Reformados da PT, na rua do Almada, 161 – Porto.

 

Dia 08 de Fevereiro de 2020, Quarta-feira, às 10h45

Visita guiada à Casa do Cinema Manoel de Oliveira e à Exposição «Eugène Green, um cineasta da palavra», recentemente inaugurada na Casa do Cinema Manoel de Oliveira, em Serralves – uma retrospectiva da obra do realizador de «A Religiosa Portuguesa» e estreia do seu novo documentário, «Lisboa Revisitada».

Sendo a primeira exposição de Eugène Green, nela são postos em evidência os processos de trabalho, os temas mais recorrentes e as posições estéticas e estilísticas que caracterizam o cineasta.

Entre Eugène Green e Manoel de Oliveira existem algumas afinidades, como a centralidade da palavraa, a teatralidade, o questionamento da representação, o  neoprimitivismo…

Eugène Green nasceu em Nova York em 1947. É cineasta, ensaísta, dramaturgo, encenador e actor. Parte para a Europa no final dos anos 1960, com o intuito de se fixar em Inglaterra “para aprender inglês”. Viveu na Alemanha, na República Checa e em Itália, antes de se fixar definitivamente em França. No ano seguinte, funda o Théâtre de la Sapience, companhia com que se lança na redescoberta e reabilitação do teatro barroco francês, acabando por se afastar dos palcos em 1999, ano em que inicia a rodagem do seu primeiro filme «Toutes les nuits» (2001). Depois realizou até à data treze filmes, assinando ainda uma vasta produção literária que define Green como um dos mais originais “cineastas teóricos” do século XX.