Actividades

           Actividades para  Junho e Julho

Dia 11 de Junho, Sábado, 10h30 

Visita guiada ao Mosteiro de S. Bento da VitóriaMosteiro de São Bento da Vitória – Wikipédia, a enciclopédia livre

A visita guiada ao mosteiro integra a igreja de S. Bento da Vitória, construção de grande riqueza arquitectónica e ornamental. No seu conjunto, Mosteiro e Igreja constituem o maior edifício eclesiástico da cidade do Porto, construído nos séculos XVII e XVIII pelos monges da antiga Congregação Beneditina Portuguesa. Da visita ao Mosteiro constam ainda o monumental Claustro Nobre e a exposição Noites Brancas, reformulada com novos elementos cenográficos.

O Mosteiro de S. Bento da Vitória, construído no morro da freguesia da Vitória, entre as Ruas de S. Bento da Vitória, das Taipas e S. Miguel, junto à antiga porta do Olival, bem dentro da muralha fernandina, é um dos edifícios religiosos mais importantes da cidade do Porto. Marca a presença da Ordem Beneditina no Porto, a rivalizar em grandeza e monumentalidade com as igrejas de S. Lourenço (Grilos), de São João Novo e dos Carmelitas.

 

Dia 22 de Junho, Quarta-feira, 15h30

Visita guiada à Casa dos Vinhos Verdes/Palacete Conde Silva Monteiro, Rua da Restauração, 318, Porto

Casa do Vinho Verde - Eventos Porto

Este Palacete é singular, assim como o era o homem que nele habitou e que lhe dá nome, António Silva Monteiro (1822-1885), afirmou Joel Cleto.

Silva Monteiro pertencia a uma família de comerciantes endinheirados. Foi ainda muito jovem para o Brasil, depois de a família perder parte da fortuna na altura das lutas liberais. Regressou ao Porto, com nova fortuna feita no Brasil. Adquiriu este palacete em 1871 e logo começou a transformá-lo.

A Casa do Vinho Verde, virada a sul sobre o rio Douro, foi considerada a “mais luxuosa habitação da cidade”, que mantém o carisma da segunda metade de oitocentos e é um exemplo da passagem dos “brasileiros de torna viagem” pela cidade.

 

Dia 2 de Julho, Sábado, 7h45

Visita guiada ao Museu do Rabaçal, ao Sítio Arqueológico de Conimbriga e Museu Monográfico de Conimbriga – Museu Nacional (incluindo a exposição de fotografia de Luís Reina – Petra … A História Escrita na Pedra) e palestra – Jordânia, na Encruzilhada da História.

Nenhuma descrição de foto disponível.

 

Os trabalhos arqueológicos na Villa Romana do Rabaçal começaram no início de 1984 e o Museu foi aberto ao público em maio de 2001, em edifício construído de raiz para esse fim.

A Villa  Romana do Rabaçal era parte integrante do território da antiga Civitas (cidade)  e localizava-se junto da via romana que ligava Olissipo à via romana que ligava Olissipo (Lisboa) a Bracara Augusta (Braga), no troço entre Sellium (Tomar) e Conímbriga (Condeixa-a-Velha). Presentemente integra a Freguesia do Rabaçal, no Concelho de Penela, Distrito de Coimbra.

Conimbriga

Ruínas de Conímbriga

A antiga cidade romana de Conímbriga é um dos sítios arqueológicos mais ricos de Portugal. É a estação arqueológica mais importante do país e foi a principal cidade na época romana, na Península Ibérica Teve origem num castro celta nos finais da Idade do Ferro. Ocupada pelos romanos a partir do ano 139 a.C.,foi no tempo do imperador Augusto, no séc. II d.C., que a antiga conheceu o seu esplendor. Com o declínio do império romano nos finais do séc. IV, foi construída uma monumental muralha defensiva, o que não impediu o assalto da cidade pelos suevos no ano de 468 e o seu consequente declínio. Foi-se desertificando e os habitantes que restaram deslocaram-se para Condeixa-a-Velha, mais a norte.

O conjunto das Ruínas de Conimbriga, do Museu Monográfico, construído na sua proximidade, e do castellum de Alcabideque forma um complexo arqueológico importante e permite reconstituir a  grandiosidade do Império Romano. Juntamente com Mirobriga (Santiago do Cacém) e Tongobriga (Freixo, Marco de Canaveses), forma o grande triângulo da permanência romana em Portugal.

Museu de Conímbriga

O Museu de Conímbriga foi criado em 1962 e dedica-se ao sítio arqueológico onde está inserido. A coleção diversificada e os materiais mostram a evolução histórica que vai do final do segundo milênio a.C até o século VI. São ao todo 31 temas que ilustram a vida dessa cidade, desde moedas a objetos cirúrgicos, como se verá na visita guiada..

 

Dia 23 de Julho, Sábado, 18h00

Visita Guiada pelo Prof. Daniel Afonso pelo vale do rio Frio. Local de Encontro: Passeio da VirtudesChafariz das Virtudes ou Fonte do Rio Frio. Construída para aproveitamento das águas de várias minas em 1619, é Monumento Nacional… | Chafariz, Vila nova, Monumento

Era o passeio público da burguesia portuense e o local de contemplação do vale do rio Frio. Aí fica a antiga casa dos Pinto Meireles. Hoje é a sede da Cooperativa Árvore. No seu jardim, integrado no centro histórico da cidade, encontram-se algumas árvores centenárias.

A dois passos fica a igreja de S. Pedro de Miragaia, onde se prestou culto a S. Pantaleão, um dos que foi padroeiro da cidade do Porto.